E-commerce B2B e B2C: quais as diferenças das plataformas?

por Bruna - 17/06/2020 - 14:41

Já comentamos aqui no blog sobre o que um bom e-commerce precisa ter, mas só isso não basta. Se você está pensando em montar o seu é muito importante que saiba as inúmeras diferenças nas plataformas e maneiras de vender para B2B e B2C. Por isso, continue lendo o artigo.

 

e-commerce b2b e b2c

 

Primeiramente, o que é B2B e B2C?

 

As siglas B2B e B2C são referentes ao tipo da operação do negócio. Há inúmeras diferenças entre os dois, o que não poderia ser diferente na plataforma de e-commerce.

 

A sigla B2B significa “Business To Business”, ou seja “de negócio para negócio”. O ramo pode ser o mais diverso possível, desde comércio para comércio, fábrica para atacado, serviço para serviço. 

 

Já a sigla B2C significam “Business To Consumer”, ou seja, “de negócio para o consumidor”. Essas operações são aquelas em que o produto é vendido diretamente para o consumidor final.

 

Para qualquer negócio dar certo, é muito importante que a empresa conheça muito bem seu público e promova a experiência adequada para ele. 

 

Vamos a um exemplo simples: você já foi em atacado? Certamente deve ter notado que toda sua estrutura, preços, disposição dos produtos e pagamento não são como em uma loja de varejo comum, e isso ocorre porque os públicos e comportamento de compra são muito diferentes.

 

A diferença é que cada mercado é único e possui necessidades e particularidades específicas. Quando se trata de e-commerce, é necessário escolher uma plataforma que se adeque a essas especificidades. Algumas plataformas como a Tray  são completas e possuem versões para os dois tipos de negócio. 

 

Para ficar mais claro, separamos algumas diferenças na maneira de montar o seu e-commerce.

 

Diferenças nas plataformas de e-commerce

 

O consumidor B2B geralmente realiza negócios bem mais racionais, que envolvem fazer vários orçamentos e negociações. Por isso, o layout tem que mostrar logo de cara informações mais técnicas do produto e também oferecer facilmente opções para orçamento e atendimento.

 

Já as plataformas de e-commerce B2C realizam operações mais imediatistas e apelativas. O cliente olha, gosta e compra. As compras são mais impulsivas e objetivas, por isso, o layout precisa ser assim também. Uma dica é investir em banners com promoções e ofertas limitadas, além de sempre ter o produto exposto, mostrando seus detalhes. É importante focar no preço e frete, que são os itens mais decisivos para conversões B2C.

 

Comunicação

 

O layout tem bastante a ver com a comunicação que você vai estabelecer com seu cliente. Isso não se aplica somente nas imagens e na parte visual, mas também na quantidade e no tipo de informações para seu cliente. 

 

Por exemplo, em operações B2C, o que mais importa para o consumidor final é o valor de frete, o preço, as vantagens e oportunidades, o que precisa estar bem “à mostra”. Já as operações B2B não acontecem na hora e são muito bem avaliadas antes de acontecer a conversão. Nesse caso, a assertividade é muito bem vinda. 

 

Se você trabalha com produtos, inclua todas as informações técnicas e também alguns diferenciais disponíveis para operações entre pessoas jurídicas. Também fale de transparência, controle de operações, garantia – fatores que são importantes para esses tipo de negócio. E ao falar de serviço, ofereça sempre um atendimento personalizado que leve o usuário a entrar em contato diretamente com você, para que seu time de vendas possa conversar com ele melhor e ganhar mais chances de realizar a venda.

 

Forma de pagamento

 

A forma de pagamento é um ponto muito importante para o e-commerce. A diferença para negócios B2B e B2C é bem grande, principalmente, porque esse é um dos grandes fatores que diferenciam os dois.

 

Plataformas de e-commerce B2C precisam focar em oferecer um check out simplificado, com boas opções de cartão de crédito, boleto e parcelamento. 

 

Já o processo de pagamento em plataformas B2B é mais complexo, porque pode variar de nicho para nicho e envolve mais etapas. Por exemplo, algo muito comum é o pagamento faturado – no qual o cliente faz o pedido e a empresa emite os boletos para ele pagar depois. Isso envolve incluir uma etapa no processo de pagamento que vai colher mais informações do consumidor para validá-las e avaliar se ele é confiável. Quando a opção de pagamento for assim, também é interessante ofertar condições de pagamento melhores, com mais prazo e menos juros, além de opções diversas de pagamento, como vários boletos, cheques etc. 

 

Impostos

 

Ao pensar em formas de pagamento, é bom também lembrar do sistema de tributação. Para e-commerce B2B, isso é algo que não vai influenciar na plataforma, visto que os os impostos já estão todos embutidos no preço dos produtos. Mas negócios B2C precisam calcular alguns tributos como ICMS, ST e IPI, que é diferente para cada estado, tipo de empresa e classificação fiscal do produto. 

 

Visto essas particularidades, você precisa escolher uma plataforma apta a solucionar isso de forma prática e eficiente para você. Se a plataforma não fizer o cálculo corretamente, além dos erros da precificação, você também poderá ter problemas ao gerar a nota fiscal eletrônica.

 

Além disso, também existem outras particularidades que a plataforma escolhida precisa suportar, que vai depender do seu tipo de negócio. Por isso, fique atento e escolha uma plataforma personalizável e que dê suporte aos diversos tipos de negócio.

 

Converse com a gente e conheça as melhores soluções.

 

 

Nenhum comentário :

Escreva um comentário:


O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *