Casa de ferreiro espeto de pau? Será que deve ser assim?

por Sandro Alencar Fernandes - 02/06/2007 - 09:49

Bom, vasculhando a net achei um post interessante no site da fatorW “Casa de ferreiro espeto de ferro”. Isso mesmo, devemos em nossa área como em todas ter nossa casa apresentável.

Alguém vai em um dentista com dentes podres? ou contrataria um Arquiteto com uma casa horrível? Então por que nossos clientes devem contratar nossos serviços se nosso site não é interessante e atualizado?

Leiam abaixo o artigo completo publicado na fatorW.

Casa de ferreiro espeto de ferro

Você confiaria em um oncologista fumante? Faria ginástica orientado por um personal trainer obeso? Contrataria um motorista sem a carteira nacional de habilitação? A resposta da maioria das pessoas para essa questão seria simplesmente um sonoro não.

Então por que motivo alguém contrataria os serviços de um designer que trabalha com web mas não mantém um site atualizado? Sem ver os trabalhos anteriores, como o interessado poderia avaliar a qualidade do trabalho futuro que pretende contratar?

O ditado da casa de ferreiro espeto de pau nada mais é do que uma batida desculpa para encobrir nossos erros. Profissionais web que estão a procura de vagas, freelas ou que querem apenas ser bem vistos no mercado devem manter um site próprio mostrando seus trabalhos, contando suas experiências.

Por vezes sou levado a procurar candidatos a vagas na empresa onde gerencio uma equipe de projetos web. Não é exagero afirmar que 90% dos currículos que chegam trazem um portfolio desatualizado ou algumas vezes não têm nem site. Estão todos perdendo chances, mesmo que possam ser profissionais qualificados.

A questão é que não basta apenas ser qualificado. É preciso que as pessoas saibam disso. E se você não disser, dificilmente alguém fara isso por você. Em casa de ferreiro o espeto deve ser de ferro.

3 Comentários :
Keidi Nienkotter:

Ixi, acho que é uma cutudada... :) O site da HotSync já foi adicionado na minha lista de coisas para fazer depois da apresentação do TCC. Prometo... vou caprichar.
Sandro Alencar Fernandes:

Legal Aurélio, Interessante análise, realmente em algumas situações quando o serviço é para nós não fizemos adequadamente. Acredito por que na maioria dos casos não damos as nossas coisas a mesma importância que damos as solicitações de outros, principalmente se esse outro é quem nos paga. Abraços
Aurélio V. Schuelter:

É verdade, pior que exemplos por ai não faltam... Muitas vezes, o próprio "profissional" sabe muito bem fazer para os outros, mas quando é para fazer para si mesmo, não sabe fazer ou o que fazer, e muitas vezes não lhe falta capacidade e conhecimento para tal. Talvez porque quando se faz para os outros, a sua capacidade criativa e conhecimento técnico sejam muito superiores ao que o cliente por si mesmo poderia fazer, e quando é para fazer para si, as coisas se igualam. Acredito que muitas vezes o profissional se subvaloriza, e não acredita no conhecimento que têm, a ponto de ter receio de publicar o seu trabalho e demonstrar do que é capaz.

Escreva um comentário:


O seu endereço de e-mail não será publicado.